Os receptores CB1 e CB2 são expressos em níveis baixos em linfócitos normais e em níveis mais elevados em linfomas e leucemias. Revisão sueca, publicada em 2011, confirmou que os canabinoides reduzem a proliferação e induzem a morte celular, isso se dá por indução do apoptose ou outro tipo de morte celular programada com vacuolização citoplasmática. Nos linfócitos normais, os canabinoides atuam em vários processos relacionados à migração celular e resposta à citocinas. Em doses elevadas, inibem a proliferação e induzem a morte celular interferindo no microambiente imunológico relacionado ao linfoma [1]. Em 2008, o mesmo grupo descreveu redução tumoral com a utilização de agonista canabinoide em linfomas de manto e leucemia linfocítica crônica, fato que não aconteceu com linfoma de Burkitt [2].

A leucemia linfoblástica aguda (LLA) é um câncer das células brancas do sangue e é tipicamente bem tratado com quimioterapia com remissão após 5 anos de 94% em crianças e em adultos de 30-40%. Para se estabelecer a agressividade da doença, são necessários testes genéticos para determinar se a leucemia é mieloblástica que envolve neutrófilos, eosinófilos e basófilos, ou linfoblástica envolvendo linfócitos B ou T.

Caso clínico envolvendo um paciente de 14 anos portador de LLA, com positividade para a mutação do cromossoma Philadelphia, que já havia sido submetido a tratamento intensivo de quimioterapia, radioterapia e transplante de medula óssea sem sucesso, que passou a utilizar óleo canábico oral administrado pela família com redução expressiva das células blásticas (malignas) e controle da doença, foi publicado [3].

Controle da população de células blásticas de LLA em paciente de 14 anos tratado com extrato oral de cannabis [PubMed] http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3901602/pdf/cro-0006-0585.pdf

Controle da população de células blásticas de LLA em paciente de 14 anos tratado com extrato oral de cannabis [PubMed

Referências

1.        Wasik AM, Christensson B, Sander B. The role of cannabinoid receptors and the endocannabinoid system in mantle cell lymphoma and other non-Hodgkin lymphomas. Semin Cancer Biol. 2011 Nov;21(5):313-21. [PubMed]

2.        Gustafsson K, Wang X, Severa D. Expression of cannabinoid receptors type 1 and type 2 in non-Hodgkin lymphoma: growth inhibition by receptor activation. Int J Cancer. 2008 Sep 1;123(5):1025-33. [PubMed]

3.        Singh Y, Bali C. Cannabis extract treatment for terminal acute lymphoblastic leukemia with a Philadelphia chromosome mutation. Case Rep Oncol. 2013 Nov 28;6(3):585-92. [PubMed]