No dia 24.05, o Prof. Derli José Henrique da Silva, chefe do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa (UFV), anunciou que irá protocolar Projeto Científico para cultivo de cannabis visando fins medicinais. O pronunciamento aconteceu ao final do evento “I Cannabis Colloquium: Desenvolvimento Ciência e Tecnologia” ocorrido na Universidade. Tal demanda, partiu do formando em agronomia, Sergio Barbosa, geográfo de formação, que desenvolveu um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que visava conhecer e estabilizar a planta e seu manejo nas condições edafoclimáticas na região de Viçosa.

A UFV, referência nacional e internacional em Agronomia e Engenharia Ambiental, constituiu um Grupo de Pesquisa para o tema, dirigido pelo Prof. Caetano Marciano de Souza, que demonstra empenho e interesse em todas as etapas do ciclo reprodutivo da planta e seu potencial na extração e produção de insumos a partir do vegetal. A AMA+ME, parceira no projeto, contribuirá com parâmetros de necessidade dos pacientes para dimensionamento do cultivo e expansão para outras condições edafoclimáticas brasileiras, além da intermediação na captação de recursos em parcerias público privadas.

Durante o evento, foram proferidas palestras abrangentes sob vários temas relacionados cannabis. O Prof. Dr. Luis Fernando Fonseca, neuropediatra, apresentou sua experiência com extratos ricos em CBD no controle e acompanhamento de crianças epiléticas refratárias a longo prazo, deixando claro a mudança na qualidade de vida das crianças e seus familiares. Em seguida, o Prof. Fernando Madeira, químico com expertise em extração de compostos ativos de várias plantas do cerrado brasileiro, mostrou as etapas deste processo envolvendo a participação das comunidades na produção vegetal o que pode se adequar, perfeitamente, na questão da cannabis.

Renato Oliveira, coordenador do centro de extensão da Universidade dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVM) abordou aspectos raciais, históricos e socais que envolveram a cannabis no Brasil. Alexandre Vasconcelos, Botanical Biotecnologia, abordou as oportunidades do mercado relacionado a cannabis medicinal. Thais Araujo, ANVISA, apresentou questões legais envolvendo a regulamentação e esclareceu sobre os protocolos  serem cumpridos para fins de pesquisa. Ao final, nosso presidente Leandro Ramires abordou o potencial terapêutico e as restrições de acesso à cannabis.

Imediatamente após o Colloquium, o grupo da UFV, liderado pelo Prof. Derli, a AMA+ME, a Associação Campineira de Estudos Canábicos (ACEC) encaminharam as considerações finais para ajuste do Projeto a ser protocolado na ANVISA. Estre trabalho deverá ser concluído até dia 30/06 próximo com posterior protocolo na ANVISA